startupear

…Press Start to Play!

Todo jogo só começa quando  alguém aperta o start.

No dia 10/09 no Santo Antônio Botequim da Barra foi realizado o primeiro Startup Meetup Salvador.

O cenário brasileiro atual de Startups é promissor, ideias inovadoras surgem a cada dia, devido ao mercado crescente dessa área e o incentivo em fortalecer esse ecossistema essas novas ideias possuem muito mais chances de tornarem-se realidade.

Eventos voltados a fomentar essa cultura de empreendimentos inovadores são cada vez mais freqüentes, como: Startup Weekend Campinas, Startupfarm, BrNewTech, entre outros e os Meetups.

O primeiro Startup Meetup brasileiro foi dia 26 de fevereiro de 2010 em Belo Horizonte, desde então várias cidades já tiveram suas edições como: São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Recife e Porto Alegre.

Ontem Salvador deu seu start nos Meetups, e entrou para o time das cidades brasileiras que realizam esse novo tipo de evento. Em um ambiente agradável, com clima descontraído no melhor estilo baiano, o qual facilitou e estimulou o diálogo entre os participantes.

Cada participante recebeu uma identificação com seu perfil: Curioso, Empreendedor, Empreendedor com Startup, Incubadora, e em que área seu perfil se enquadrava: negócios, técnico ou design.

Foi realizada uma dinâmica para estimular o máximo de networking e troca de ideias entre todos, cada um continha em seu crachá 3 números que correspondiam a sua mesa em cada rodada, depois de um tempo, muitos cartões, novos conhecimentos, boa conversa, troca de ideias, feedbacks, todos trocavam de mesa e aumentavam a cada rodada seu networking.

Um das melhores coisas desse tipo de evento é o fastfeedback, cada um conta sua ideia, empreendimento, experiência e recebe imediatamente vários feedbacks, como não tem aquele pedestal de distância as pessoas ficam mais a vontade e estimuladas a dar opinião, o diálogo frente a frente facilita. Diferente dos eventos formais com palestras “frias”, o estilo Happy hour quebra o gelo, faz as pessoas terem um contato mais próximo, uma mente relaxada flui ideias mais facilmente.

Para Startups que ainda estão se desenvolvendo é muito importante o feedback de empreendedores experientes, como também para aqueles que só tem uma ideia, você nunca sabe o quão boa pode ser sua ideia se não compartilhar com alguém, trocar ideias não custa nada e faz muito bem, opiniões construtivas oriundas de uma boa experiência devem ser aproveitadas e  espalhadas.

 Tão importante quanto networking são as possibilidades de negócios e parcerias, tivemos uma parceria formada, o pessoal da LOUPBr se interessou no meu projeto da WESolve! e vamos desenvolver minha ideia. Mais uma Sartup brasileira e baiana em crescimento.

Salvador precisa de eventos relacionados a Startups que incentivem a disseminar a cultura de empreendimentos inovadores e preparem o empreendedor para esse novo mercado, o baiano é criativo por natureza. Precisamos repassar esse tipo de conhecimento, temos boas universidades com cursos tecnológicos com oportunidades de nascer  ideias inovadoras.

É preciso dar o primeiro passo, e foi dado mandamos um recado para o Brasil: ei, nós também temos Startups em Salvador e vamos crescer junto com esse mercado.

Tivemos a presença do pessoal  do grupo LinguÁgil, Implementar, Incubadora da Unifacs, startup incubada na INOVApoli, estudantes e vários empreendedores, inclusive um dos participantes foi ao Startup Weekend Campinas e contou suas experiências.

Eu, Camila Maciel da WESolve!, Juliana Fajardini e Bruno Silva da #crossjoin, André Paraense da Mobwise, que não pôde comparecer ao evento, mas foi imprescindível na organização do mesmo, agradecemos à presença de todos que fizeram do primeiro Startup Meetup Salvador um sucesso. Até o próximo!

página no face: http://www.facebook.com/pages/Startup-Meetup-Salvador/233176506725051

twitter: @salvadormeetup

…ao som de Beatles!

startupear

…Pití? Não, PITCH!

Como uma criança que ainda está aprendendo os primeiros passos e encontra em seu caminho uma bola de baseball, a segura firmemente, da uma desequilibrada e arremessa bem longe. É dado a startup, e que o jogo comece.

Isso descreve de forma sucinta como me senti com a quantidade de novos conhecimentos nos primeiros dias do curso de empreendedorismo tecnológico realizado pela Inova Poli da UFBA e muito bem ministrado por André Paraense.

A universidade que fiz minha graduação mesmo sendo altamente conceituada como um dos melhores cursos do Brasil não desenvolve o lado empreendedor dos alunos, por isso nunca tive contato direto com o mundo do empreendedorismo e da inovação.

Foi paixão ao primeiro pitch, sempre fui de viver no mundo das ideias, mas sem fugir a realidade. Com diria mainha: ô menininha pra ter ideia. Era no fundo meu lado empreendedor gritando: ei, é por esse caminho.

Pitch é uma analogia à jogada do baseball, é aquele curto momento que você tem para jogar sua ideia na cara do investidor. Outra forma de entender é o pitch elevator , imagine que você entrou no elevador e deu de cara com aquele investidor potencial para sua startup, é a hora do seu pitch você tem do primeiro ao décimo andar para demonstrar qual é sua startup e o principal chamar a atenção do mesmo para um segundo encontro e possível investimento.

Acho que as universidades, como a minha da graduação, mesmo sendo altamente conceituada falta incentivar o lado empreendedor e inovador dos alunos, não só de conhecimentos já consolidados é que se faz o mundo, se não só teríamos Charles Chaplins em Tempos Modernos, máquinas humanas fazendo sempre a mesma coisa.

Facebook, twitter, celular esse povo não me deixa escrever, e  aprendi que possivelmente os investidores que assistirão meu futuro pitch também  poderão estar distraídos com tais coisas. Relevante, Maciel, você tem que ser relevante: Ei, meu conteúdo é bom preste atenção!

Modelo de negócios, Customer Development,  Proposta de valor, Produto Mínimo viável, pitch(e eu só conhecia pití de baiano), Eric Ries, Steven Blank, …uma gama de novos conhecimentos e a tal  da startup.

Para Eric Ries uma startup é uma instituição humana para entregar um novo produto em condição de extrema incerteza.

Para Steven Blank é uma organização criada para encontrar um modelo de negócio repetível e escalável.

Tudo junto e misturado, a tal da Ana workaholic, eu e minha mania de não parar compraria as comidinhas de Ana.

A história da Mobwise e sua proposta altamente promissora.

Sempre admirei aqueles que não tem medo de arriscar, que arregaçam as mangas e fazem, se erram, aprendem com os erros, mas não se deixam abater, levantam a cabeça e continuam. Aqueles que contribuem com algo além de plantar uma árvore, as pessoas que fazem a diferença, os empreendedores.

Eles não são de outro planeta, ou diferentes, qualquer um pode ser é só ter força de vontade, engajamento, e correr atrás da transpiração.

Uma Big Idea sem ação não passa do papel.

Conhecimentos explanados, pesquisados com afinco posteriormente ( mal de pesquisadora, sempre quer saber mais), próxima aula mão na massa, como diria o poeta ouço esqueço, faço aprendo.

Uma engenheira eletricista, um quase engenheiro civil, um no meio do caminho pra ser engenheiro mecânico dividem a mesma sala do curso aprendem esses conhecimentos, mal sabiam eles que no próximo encontro o tempo-espaço faria o seu ponto de inicio no mundo das startups, se tornariam sócios e empreendedores de uma Big Idea.

Ps: Esse foi o primeiro post do meu novo blog em conjunto com meus sócios, faz parte do curso de empreendedorismo tecnológico e lá divulgaremos toda nossa caminhada pelo mundo empreendedor das startups.

Ps2: fui futucar o site do groove bar, um barzinho daqui de ssa que é super minha cara( tem show de banda cover dos Beatles, dai vc já tira) que eu não encontrei ninguém pra ir comigo até setembro,  dia 09/07 vai ter show de uma banda cover de U2, e por coincidência exatamente no dia que completa 3 meses que fui ao perfeito show deles e eu completo 25 aninhos de vida. Alguém quer ir comigoooo???

Ps3: Gente 85mil visitas já =O Muitoooo, muitooo obrigada à todos os meus leitores pelos suspiros e devaneios. Vocês não sabem o quanto adoro receber os e-mails e comentários.

…ao som de U2!