peças quebradas

…Carta a Mãe!


Kafka escreveu Carta ao Pai, se juntar todas as cartinhas que já fiz para minha mãe acho que da pra lançar um Carta a mãe.Ao contrário de Kafka meu livro seria retratando os filhos que tem boa relação com os pais.

Como vcs sabem de posts anteriores meus pais são separados, no dia das mães e aniversários dela eu e meu pai sempre iamos juntos comprar o  seu presente , eu adorava, porém quando meu pai foi embora as datas comemorativas referentes a ela passaram a ser eu , meu irmão e ela, ou seja sem papai sem presente extravagante.

Fazia de tudo pra poder compensar,era um dia especial, ja preparava da noite anterior qd ela ia dormir fazia um bolo, claro nada de batedeira pra ela não acordar, era batido a mão mesmo, no outro dia acordava cedinho fazia um café da manhã e levava na cama sempre junto com uma rosa(troco do lanche do colégio,a unica coisa q dava pra comprar), e claro a cartinha.

Já fiz festa surpresa na casa da vizinha, qd sobrava uns trocados a mais mandava a super brega telemensagem mas sabe como é mãe, se derrete.De lá pra cá foram muitas cartinhas.

Tenho uma grande admiração por meus pais, tanto pela história de vida de cada um deles(já contei a do meu pai : meu paiaço) como por terem me ensinado muito e sempre foram pais maravilhosos.

Quando meu pai foi embora, mami teve que tomar conta sozinha do mercadinho da família, e então sua vida se resumia a casa mercadinho, mercadinho casa, tudo isso pra poder dar o melhor pra eu e meu irmão.E me da um aperto tão grande no peito em saber o tanto que minha mãe abdicou, não tem feriado, férias, não sai pra canto nenhum, passou 8 anos sem ver meus avós e familiares de Irecê. E só foi pq eu praticamente arrastei, no primeiro de janeiro desse ano.

O sonho dela é ter uma casinha lá em Irecê pra ficar mais perto das minhas minhas tias e da minha vó e vô, agr só do meu avô.Respira Maciel, dói tanto saber que ela perdeu todo esse tempo longe , se contentando com os telefonemas nos fim de semana pra matar a saudade.

São 8 anos de história escrita em telefonemas, o tanto de coisa que ela não viveu junto a minha avó e meu avô, e agora que ela prometeu qd foi em janeiro que não ia mais passar tanto tempo sem  ir a Irecê, ,minha vozinha se foi…não  da pra se recuperar tempo.

Não se afaste dos seus familiares, amores por causa de trabalho, por causa de dinheiro, isso tudo se acaba , o que faz uma vida são as histórias vividas, os laços, as memórias criadas por momentos compartilhados. Telefone, internet isso não é ficar perto, nada se compara um abraço forte olhar no olho e como eu tava com saudade de vc.Tempo não vivido, não se recupera.

Sei que não é culpa dela pq ela é como eu, se cobra muito, é organizada com seus compromissos.Aquela agenda que só ela entende, e não posso viajar mila eu tenho coisas pra pagar, compromissos.E isso tudo pra poder dar o melhor pra mim e meu irmão.

E foram 5 anos sem cafés da manhã, mas esse ano fiz uma cartinha como sempre fiz antes de vim embora pra cá.E sabe o que ela me disse quando recebeu?Eu tenho todas as cartinhas guardadas, e quando vc publicar(sim, tô escrevendo um livro só não sei qd vou terminar) seu livro e for famosa vou emoldurar suas cartinhas.

Os presentes extravagantes ela nem se lembra , coisas simples como uma carta podem significar muito mais. Amor, demonstrações de carinho, gestos simples valem mais que muito presente caro.

Ontem foi aniversário dessa pequena grande mulher que é minha mãe.Agora vos deixo a cartinha que a enviei:

 

Querida mãezinha,

 

Você  já deve ter uma coleção de tantas e tantas cartinhas dizendo o quanto eu a amo,  que não tenho dinheiro mas tenho o maior presente que posso lhe dar que é o meu amor. Lembrei de quando acordava cedinho e fazia seu café da manhã, levava na cama  junto com a cartinha.

Esse aniversário quero principalmente lhe agradecer por ser a melhor mãe que alguém pode ter , sempre carinhosa, atenciosa, preocupada, obrigada em especial por ter me feito ser quem sou hoje, por ter acredito em mim quando vim fazer vestibular aqui 5 anos de saudade, de esforço diário pra me manter aqui, e já to tão pertinho de conseguir realizar meu sonho de ser engenheira eletricista, e devo tudo isso a senhora.

Meu exemplo de mulher, que me inspira sempre a vencer as batalhas diárias que enfrento aqui, é minha força e base pra seguir em frente nas horas mais difíceis sempre com dignidade, e respeitando os outros como me ensinou desde pequena. Tem um coração enorme, é generosa e faz o que puder pra me dar o melhor, e sou eternamente grata por isso.

Tantos queriam ter a mãe que eu tenho e a oportunidade de poder seguir meus objetivos, obrigada por ter me criado para o mundo, por ter me feito uma pessoa sem medo de enfrentar qualquer coisa e lugar.

Meu espelho, minha inspiração, minha força, minha base, tudo o que sou e o que serei devo a senhora, muito obrigada palavras serão sempre insuficientes para dizer o quanto eu agradeço por tudo, e o quanto o meu amor é imenso.

Minha formatura ta chegando, pois é vou ser engenheira eletricista e futuramente mestre , em seguida a senhora poderá dizer que tem uma filha doutora.Mais um grande passo na minha vida, e daqui em dia o que eu puder fazer pra retribuir tudo que a senhora fez por mim não medirei esforços para tal.

Parabéns por mais um ano de vida, e que venha muitos e muitos mais e que estes próximos serão regados além de cartas muitos e muitos presentes.

 

Com amor, Mila.

…ao som de Norah Jones!

 

 

 

peças quebradas

…Pequena grande mulher!


Sabe aquela história que dizem que você acha que nunca vai acontecer com alguém da sua família, é a mais pura verdade.Mas quando menos esperamos, a realidade vem e bate a porta na nossa cara…

A ficha ainda não caiu, e eu queria tanto que ela não caisse…é difícil acreditar na perda de alguém que amamos, é uma dor grande demais que parece querer sair de tão imensa, as lágrimas insistem em não cessar na luta  em tentar amenizar a dor mas ela não passa…a gente parece que junta todas as memórias na tentativa de não deixar ir embora de querer ficar mais perto e quanto mais forte a lembrança mais intensa a dor fica, e qd o pensamento teima em puxar a tal da ficha machuca tanto…uma vontade de gritar , não, isso não pode acontecer com quem a gente ama, não.

Matriarca de uma família de 7 filhos, 5 mulheres:Nilza,Norma,Neire,Neide,Núbia, e 2 homens, Nei e João, avó de 13 netos, bisavó de 6 bisnetos, nossa Pequena grande mulher, Maria de Novais Maciel, a vovó Pequena.

Dona de uma personalidade forte, lutadora,com um jeito único e amável de encantar a todos,um coração que não tem tamanho de tanta bondade e amor por seus entes, junto com vó Bitonho lá no interior de Nova Vista de Central próximo a Irecê, Bahia,no mais conhecido como Serra queixo construiu a mais bela família que alguém pode ter, a Famíla Maciel, a qual me orgulho tanto de fazer parte.

Acho que a marca principal da família Maciel são as bravas, guerreiras, e lutadoras grandes mulheres que seguiram o seu exemplo, me orgulho tanto mas tanto de ter sido sua neta, de ter Maria Nilza como minha mãe, de ter tias batalhadoras que aprendo diariamente com a vida de cada uma.

A coisa mais bela, e sagrada o maior tesouro que alguém tem é a família, por isso que eu não vejo a hora em dezembro poder voltar pra minha terrinha, ficar mais perto da minha mãezinha, quando penso o quanto que ela e todos os Maciel estão sofrendo…

Ontem estavamos a conversar sobre as tantas histórias de vovó Pequena, as lembranças maravilhosas , o delicioso café com leite açúcar e sal com gosto de infância que só ela sabia fazer tão bem, ai como a saudade doi…como a certeza do nunca mais é…é…lancinante.

E o meu vozinho?Dói demais…,era só eles dois na casa em Serra queixo, como ele vai…mas a nossa famíla é forte, temos que ser por ele, a união nos momentos fáceis e difíceis faz dos Maciel ser o que são.Uma grande família.

No ínicio desse ano mais precisamente no primeiro dia, tive o imenso prazer e alegria em participar da reunião dos Maciel, e rir sentada no chão ao lado de todas as grandes mulheres da família, enquanto vovó Pequena fazia doce de banana e contava suas histórias…e ficarão pra sempre em nossos corações e lembranças alguém cuja bondade e coração eram imensos e cabia sempre mais, e mais amor.

…em silêncio!

peças quebradas

…meu Paiaço!

painhoE hoje começa no indeiscente uma Série chamada: Peças quebradas que montam minha cabeça.
É uma série que vai contar a cada post a história de pessoas que passaram por minha vida seja por um momento breve ou não mas, que fincaram alguma coisa na minha cabeça.

E para começarmos a série vos apresento:

Luiz Dias Andrade para alguns conhecido como, meu pai.Uma pessoa que tenho imensa admiração por sua garra e história de vida, é um dos grandes responsáveis que me fizeram ser o q sou hoje.
Perdeu o pai ainda criança, foi criado por um padrasto severo, adolescente foi tentar fazer um futuro melhor na cidade grande,não foi São Paulo, a cidade era Salvador.Morava com sua tia que trabalhava como empregada doméstica e se aventurava diaramente vendendo doces pela selva soteropolitana, sempre foi um bom aluno na escola mesmo com tantas obrigações.

Foi crescendo trocou de emprego passou das ruas para os bares calma, ele virou garçom e por fim ao emprego que o levaria ao seu real futuro, o de auxiliar num escritório de um engenheiro civil que era patrão da tia Tonhia, a tia que ele morava.E foi assim, com a ajuda deste que Bequinho,para os familiares,conheceu o mundo mágico da engenharia e com o salário que ganhava conseguiu pagar sua faculdade de engenharia eletromecânica.Seu ex-patrão o indicou para ingressar ao corpo de engenheiros da Companhia de Sorrisos Rural da Bahia, ou melhor Companhia de Engenharia Rural da Bahia(CERB), devido as suas qualificações e seu grande destaque em fazer as pessoas sorrirem
foi prontamente contratado para o trabalho.

E o primeiro local que o mandaram foi Irecê-Ba, cidade conhecida como a terra do feijão de um povo sofrido e trabalhador que tem no cabo da enchada e nos calos das mãos suas histórias.Mas afinal o que Seu Luiz faz?Gosto de dizer que meu pai leva sorrisos para aquelas pessoas que para a maioria não fazem a mínima diferença.Leva esperança e uma melhor qualidade de vida para os desconhecidos pequenos grande homens escondidos nos mais remotos cantos da Bahia.

Ele trabalha com perfuração de poços artesianos,ou seja ele leva água onde nem o sistema de abastecimento de água chega, naqueles lugares que vc nunca imaginaria que alguém poderia estar vivendo.Faz todo o projeto de tubulações,tudo e faz as pessoas darem valor a uma simples água agora saindo da torneira,tira o cansaço das costas de carregar por quilômetros latas d´água na cabeça e de esperar dia após dia a bendita chuva vos agraciar para garantir o pão do ano.

E foi nesta cidade ou melhor no vilarejo de Serra-queixo, lá onde Judas perdeu as meias que ele conheceu uma das 5 filhas do Seu Bitonho,e com seu bigode charmoso, aquela calça boca de sino,seu masculo corpo magrelo, e um jeito encantador de cativar as pessoas ao seu redor que conquistou o coração da mocinha do interior e em pouco tempo estavam os dois se casando, alguns anos depois de várias tentativas enfim conseguiram fazer uma linda menina (;p),tah era linda quando pequena, segundo sua mãe: cresceu e ficou feia.

Quando completei 2 anos, meu paiaço foi transferido para Senhor do Bonfim e lá escreveu as maravilhosas lembranças da minha infância,os festivais de mágica, as idas aos parques,o acompanhar nos duetos de violão( eu não sou daqui, marinheiro só…),minha alegria ao se esconder debaixo da cama qd ele chegava do trabalho e tirava calmamente a meia e eu esperava ele pegá-la e jogar na minha cara, e eu riaaaa sem parar,como eu saltivava qd chegava da escola e via melancias pelo mercadinho era sinal q ele tinha chegado de viagem,a construção da casa da ilha…ele costumava nos levar em algumas das viagens nas estradas de barro empoeiradas pelos quatro cantos escondidos da Bahia,e a cada lugarzinho era uma festa quando Seu Luiz chegava.Desde cedo ele sempre me ensinou a dar valor as coisas simples da vida,me ensinou a respeitar os cabelos brancos e que os calos nas mãos daquelas pessoas podem te ensinar muita coisa, que dinheiro pode ser importante mas não é tudo na vida, que um muito obrigado e um belo sorriso pode ser o melhor presente que nenhum dinheiro pode comprar.

Atualmente ele se separou da minha mãe, foi transferido para Barreiras onde mora sozinho,e só consigo vê-lo infelizmente desde q comecei a seguir seus passos no mundo da engenharia com minhas próprias pernas uma vez por ano…

PS:acho q realmente voltei ao mundo da escrita, q bom!me faz mto bem escrever, já falei sobre isso em posts anteriores não sei explicar direito mas bem me faz mto bem…ja tenho mil posts em mente… =)

…ao som de Bob Dylan!