…semear livros,plantar escolas e colher educação!

“These things happened. They were glorious and they changed the world…
and then we fucked up the endgame.”(Charlie Wilson)

Essa frase é do filme Jogos de Poder baseado em fatos reais, é sobre um congressista americano, Charlie Wilson, que conseguiu o financiamento para os Mujahideen afegãos na luta contra a União Soviética.

Foi investido perto de um bilhão de dólares para armar os guerrilheiros, no fim da guerra quando Charlie foi pedir financiamento para reconstruir o país e investir principalmente na construção de escolas e na educação, não conseguiu investimento.

Era esse o ponto que eu queria chegar, educação! Acho que nessa pequena palavra resume-se a solução de muita coisa, se ao invés de gastarmos tanto tempo pensando em construir mais e mais igrejas ou fábricas de arma se essas pilhas e mais pilhas de dinheiros fossem revertidas em pilhas e mais pilhas de livros, se no lugar de uma arma de brinquedo ou até mesmo de verdade déssemos um pequeno livro com singelas palavras como: O pequeno príncipe que faria quem sabe aquela criança  cativar melhor suas amizades ,a ver a beleza que esta por trás  das belas palavras de Saint-Exupéry .

Sei que quem tem fome não pensa tanto no que ler afinal, você já tentou estudar com fome? Como dizem: mente vazia não trabalha! Contudo, a partir da educação temos a base para diversos fins,  é a raiz e chave de tudo, é com ela que podemos plantar os frutos para alimentar aqueles que tem fome, devemos plantar escolas e colher educação!

Leitura, estudo, conhecimento essa semana no caminho para aula de dispositivos estava pensando no meu professor, de como eu sinto prazer em assistir a aula dele que o mundo esta precisando de professores assim, ele não é um tipo qualquer de professor que dá aula por dar par receber seu salário no fim do mês e pronto, pelo contrário ele se interessa em transmitir conhecimento não sossega até  fazer todos os seus 60 e poucos alunos entenderem a matéria por mais complexo que seja o assunto ele consegue transmiti-lo e acrescentar frutos futuros para seus aprendizes e por coincidência durante a aula acabou surgindo o tema educação e o professor demonstrou mais ainda o quão é competente e preocupado com a educação.

Ele se colocou contra o Reuni e que se quisermos mudar algo temos que antes melhorar a estrutura das universidades para que comportem o contingente de alunos e que isso não venha a influenciar o principal objetivo de uma universidade construir conhecimento.

Assim se devemos mudar algo é lá da base, do início lá da pequena escola como aquela no Vale do Jequitinhonha uma das regiões com maior índice de pobreza do Brasil mas, numa das escolas dessa cidade criou-se um herói , não daqueles que tem armas aos dentes ou que fez algum milagre.

O seu poder era a palavra e sua arma a leitura, ele enfrentou a pobreza, as limitações físicas, o atraso no tempo, eliminou 2500 adversários seu nome :Eder Coimbra, sua idade: 14 anos, entrou na escola com 8 anos porque a família morava muito longe da mesma e não tinha condições de levá-lo e ele era muito pequeno para ir sozinho por isso entrou atrasado.

Enfrentava todos os dias com sua arma conhecida como livro debaixo do braço, e a outra do modelo lápis na pequena mão cerca de 4 a 5km andando enfrentando sol e chuva para cheguar no seu objetivo: a escola. Sua família são 6 pessoas e vivem com 200reais por mês. Pois é , quanta discrepância o livro que você acabou de comprar para sua universidade custou quase isso…complexo, complicado se falar em educação com tantas disparidades.

Enfim, ele foi o campeão do Soletrando. Sua plantação lhe rendeu uma bolsa de cem mil reais para ser investida na sua educação mas, esta foi conseguida com o esforço e suor do mesmo. Crianças que presam a educação que leem Machado de Assis que conhecem palavras complicadas para sua idade  conhecem isso porque? LIVROS!

Palavras como hodierno, execrável, onisciência foram acrescentadas no vocabulário de inúmeras crianças que assistiram ao programa e não só essas palavras como aquelas que os 2500 concorrentes estudaram e aprenderam ou seja mais palavras foram acrescentadas a cada criança elas conheceram um bom amigo meu, o Aurélio, com suas mais de 435.000 palavras que também é amigo de um simples menino pobre que virou por um dia um herói para muitas.

É de herois assim que precisamos, humanos, verdadeiros e preocupados com a educação, esse pequeno menino tem sonhos como qualquer outra criança e um deles é de fazer economia ou seja ele é tão humano quanto eu ou quanto você, sei que não podemos mudar o mundo de uma hora para outra, mas podemos ao invés de perder  tempo ensinando nossas crianças a rebolar cada vez mais cedo antes mesmo de ler, se no lugar de passarmos tempo ouvindo músicas de conteúdo chulo estivéssemos apreciando um bom livro ou então ouvindo músicas como a que eu estou ouvindo agora com letras belíssimas de conteúdo forte q te faz pensar e questionar.

Enfim meus caros, a única coisa que eu acho realmente é que devemos semear livros, plantar escolas e colher educação. Quando passar por alguma biblioteca recomendo que conheça : O pequeno príncipe de Saint-Exupéry , vai gostar de conhecê-lo!

…ao som de Zé Ramalho-cidadão!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: